segunda-feira, novembro 17, 2008

Sugestão

No meio de tanto dinheiro esbanjado sem sentido, porque não contrata o ministério da educação a uma empresa credível de consultoria internacional (por exemplo, Roland Berger, Boston Consulting Group, McKinsey, A. T. Kearney) um estudo sobre a reorganização do ensino público, nele incluindo toda a definição da carreira docente, com respectivo modelo de avaliação de desempenho, estatuto do aluno, organização das escolas e do próprio ministério, etc, etc? Estou certo os resultados pouco ou nada agradariam aos professores, quiçá também não demasiado ao ministério, mas seria bem interessante analisar as conclusões.

2 comentários:

João Cília filho disse...

Não sairia assim tão caro. Uma equipa de 1 mês deveria andar à volta dos 100 mil €. Não sei é se as empresas de consultoria quereriam queimar o seu bom nome no meio desse processo!

JC disse...

Se fosse a si, fazia-lhes uma proposta...