terça-feira, fevereiro 28, 2012

Sinistro...

Acho que o assunto passou mais ou menos despercebido, ou pelo menos não teve o impacto que mereceria. Mas o ataque feito por João Palma, presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, no programa "Gente que Conta" (TSF e DN), aos governos de José Sócrates e do PS em simultâneo com a defesa que faz da actual ministra Paula Teixeira da Cruz é suficiente para esclarecer muito do que se passou na área da justiça e da "justicialização" da política nos últimos anos, mesmo ainda antes do PS ser governo. Para além de explicar "urbi et orbi" que a magistratura tem, e continua a ter, uma agenda política, e não apenas corporativa, muito bem definida. 

Estamos, claro, perante a autêntica subversão de um dos princípios básicos do Estado de Direito Democrático, mas parece ninguém se importar muito com isso.  

4 comentários:

VdeAlmeida disse...

Bem, mas isso já não é novidade. E para mim, no caso desse senhor João Palma, parecia-me haver, não só, uma questão política, como também uma questão pessoal contra o José Sócrates. Era algo muito patente nas suas intervenções.

JC disse...

Novidade, não será. Mas nunca tinha sido dito e assumido de forma tão clara.

Queirosiano disse...

Não por acaso: uma das tentativas de reforma do primeiro Governo Sócrates, quando tentou mexer em alguns interesses instalados, tinha que ver com a justiça. Essas coisas pagam-se.

JC disse...

Pois claro. Mas o assunto já vem de trás. Ver o "caso" Ferro Rogrigues...