segunda-feira, janeiro 28, 2013

Jaime Neves

Ele há frases assassinas!... E a de Jaime Neves, homem do 25 de Abril e do 25 de Novembro a quem a democracia por isso deve estar agradecida, foi a proferida no dia 25 (ou 26) de Novembro, afirmando, em perfeito contraste com a defesa do PCP e desse modo da democracia plena feita por Melo Antunes, que "os comandos ainda não estavam satisfeitos". A ser levada à letra no terreno, a democracia, em vez de assegurada, como o foi, nessa data, teria ficado a partir daí seriamente comprometida. 

Talvez tal se tenha ficado a dever ao seu entusiasmo de "operacional" e à sua muito pouca preparação política, quero admiti-lo, em perfeito contraste com Melo Antunes. Mas o que é um facto é que, apesar das suas acções decisivas no terreno em defesa da democracia, essa frase não me saiu da memória e sempre me fez duvidar da genuinidade e profundidade das suas convicções democráticas. Mas talvez esteja a ser injusto, admito-o. É que, além de tudo o mais, não há heróis impolutos, não é assim?

6 comentários:

ié-ié disse...

Jaime Neves... Não sei o que dizer... Respeito o Homem e a sua memória, sobretudo depois da sua morte...

Não alinho com o branqueamento que fazem da sua história, mas também não sou do "bota abaixo"...

Se bem sei, Jaime Neves terá sido o único militar que falhou o seu objectivo no 25 de Abril...

Mas no 25 de Novembro ele foi determinante para a reconquista da Liberdade, provavelmente - sei lá - com outros objectivos escondidos.

Como quer que seja, curvo-me perante a sua memória...

LT

JC disse...

Em certa medida, concordo contigo, como se pode depreender do "post". É uma personagem controversa...
Abraço

Victor Peres disse...

Digamos que o Jaime Neves era um spinolista.
Se entrou no 25 de Abril, foi por arrasto e entre os dois 25's andou sempre a equlibrar-se num muro estreito, se é que me consigo fazer entender...

JC disse...

Spinolista, o Jaime Neves? Demasiado "short minded" para poder ser incluído numa categoria, qq que fosse. Aliás, entre o 25 de Abril e o 25 de Novembro pouco se ouviu falar dele. Era um operacional, sem qq tipo de formação política. Discordando do "spinolismo" e achando Spínola alguém sem qq tipo de tacto político, uma parte dos oficiais "spinolistas" até eram gente com alguns miolos.
Já agora, falemos de "bola": bem os ajudámos, mas vocês pouco aproveitaram. Mal agradecidos!:-)
Abraço

Vic disse...

Meu caro, acredite no que lhe digo sobre o Jaime Neves, porque sei do que falo. Vacilou em Setembro e depois no 11 de Março. Só avançou em Novembro quando sentiu que os ventos tinham mudado definitivamente e que ou era o grupo dos 9 ou o PC. E como sentiu que a maioria estaria do lado mais moderado...
Quanto ao futebol, é verdade. Mas pelo menos, parece que estão a jogar melhorzinho.
Agora, uma beliscadelazita: fico à espera de um post seu, caso se confirme a transferência do Victor para o Benfica, numa semana em que se realizam as meias-finais da Taça de Portugal entre o Paços de Ferreira e o SLB

Abraço

JC disse...

1. acredito no que diz s/ Jaime Neves, embora ache que as suas hesitações se terão devido mais à sua falta de preparação. e sim, no 25 de Novembro só foi à PM quando já se sabia qual o vencedor.
2. Não tenho de escrever sempre que se dá um caso como o que refere. Tenho uma posição de princípio, já a exprimi várias vezes, de modo geral e abstracto, e ponto final. E tal posição de princípio não se limita, como sabe, a contratar jogadores do próximo adversário. Neste mercado de Janeiro deveria ser, pura e simplesmente, proibida a troca, compra ou venda de jogadores entre equipas que integram a mesma competição. Como bem sabe, não tenho 2 pesos e 2 medidas.