segunda-feira, junho 08, 2009

Mais algumas notas...

Mais umas pequenas notas sobre a noite eleitoral:
  1. Preocupa-me pouco a eventual ou hipotética ingovernabilidade do país a partir do próximo Outono. Estamos perante eleições diferentes e nessa altura se verá o que acontece. O que me preocupa, isso sim, é a ingovernabilidade do país até lá, com o governo de José Sócrates com a sua capacidade política, de facto, afectada, a oposição procurando a todo o custo atingir-lhe a jugular e o governo, como disse, com a enorme tentação de distribuir benesses.
  2. Será interessante ver José Sócrates pela primeira vez na defensiva e numa posição de grande fraqueza política.
  3. O governo terá começado a perder estas eleições quando demitiu Correia de Campos, cedendo à rua, e quando não optou por uma posição de força, demitindo-se e forçando eleições antecipadas, quando a contestação dos professores atingiu o seu ponto mais alto. Foi uma demonstração de fraqueza quando nada o justificava. Afirmei-o na altura.
  4. Uma questão importante: de que modo a possibilidade, a partir de agora bem real, de PSD e CDS poderem vir a constituir uma alternativa de governo irá afectar o voto à esquerda.

2 comentários:

NP disse...

Faz-me confusão... essa da "ingovernabilidade"!

A política devia ser a arte de bem servir o POVO... e para isso é preciso que os partidos deixem de pensar apenas no seu umbigo e passem realmente a preocupar-se com quem lhes dá o mandato para governar! Isso exige seriedade, honestidade, busca de CONSENSOS... sempre tendo como "pano de fundo o POVO... e não os interesses mesquinhos e egocêntricos, quer pessoais, quer partidários!

Sem me preocupar muito em procurar um exemplo.. apenas cito o do Provedor de Justiça!

NP disse...

"quando a contestação dos professores atingiu o seu ponto mais alto"

E quando foi isso? Na greve dos 90%... ou na Manifestação dos 120 mil?

Mas não deixava de ter "piada" o Governo demitir-se por causa da luta dos "zecos", dos tais que são cobardes e que partem como o esparguete, como disse a inenarrável Margarida Moreira! :)

Eu só não tenho a certeza que Sócrates conseguisse o que conseguiu o Presidente do Governo Regional da Madeira... :)