sexta-feira, setembro 24, 2010

Frivolidades: "Tattersall"



Pois é, de cada vez que tenho que comprar em Portugal uma camisa “Tattersall check” ninguém sabe do que se trata e já não ouso, sequer, pronunciar tais palavras, não vá o(a) lojista pensar que está na presença de um fugitivo de um qualquer centro de detenção para gente com sérios problemas mentais ou, mais simples ainda, de um insuportável senza nobiltá, vulgo "snob". E quando, depois de tentar descrever o melhor que posso e sei o que quero efectivamente comprar, caso o objecto de desejo não esteja à vista, o que torna sempre tudo bem mais simples, me respondem, quais Arquimedes da moda masculina, “Ah!, Viyella”, confesso que, com aquela impaciência de Poirot perante a questionável inteligência do seu amigo Hastings, desisto e rendo-me com uma expressão de mal disfarçado enfado.

Vejamos... “Tattersall check” é um padrão muito usado em camisas desportivas - mas não se esgotando por aí - e deve o seu nome, tanto quanto sei, a um leiloeiro de cavalos de corrida de nome Richard Tattersall, com instalações em Hyde Park, Londres, desde o século XVIII (ou por aí). Parece, pois, que o tal padrão tem origem nas mantas que cobriam os cavalos a leilão, embora me pareça que existem várias versões embora todas elas relacionadas com o tal mercado de cavalos. Em Inglaterra, ou noutras partes do mundo civilizado, quem se referir a uma camisa "Tattersall Check" (ou apenas Tattersall) será facilmente entendido e poderá estar certo não ser objecto de mal contida chacota ou de chamada para o 112 local. Ponto final!

Já "Viyella" é bem outra coisa e nada tem a ver com qualquer padrão: trata-se da marca registada de um tecido feito com uma mistura de lã merino e algodão muitas vezes utilizado na confecção de camisas desportivas. Acontece que muitas (a grande maioria) das camisas com o padrão “Tattersall”, embora com uma aparência “aflanelada” e um toque “suave”, são feitas com tecido 100% algodão e não com Viyella, pelo que muito pouco ou quase nada justifica tal confusão.

Mas pronto: sem grandes esperanças de que esta explicação chegue a quem deve (já tentei numa loja mas desisti), lá terei de continuar a dirigir-me aos lojistas com a tagarelice do costume: “olhe, tem daquelas camisas blá, blá, blá, etc e tal? Sorte a minha... Santo Deus!

10 comentários:

Teresa disse...

Já experimentou na Camisa de Ouro?

JC disse...

Olá, Teresa:
Já o meu pai era cliente da camisa de Ouro, e foi-o até ao fim da vida... Fiz lá camisas desde os meus 16 ou 17 anos, até para aí aos 40, e fui colega de liceu do Fernando Agostinho, sobrinho do Sr. Agostinho, o dono. O meu filho ainda fez lá as 1ªs camisas, pois como é mtº alto e magro tem de mandar fazer camisas por medida. Agora manda fazer na Labrador. Desisti da C. de Ouro pois acho a qualidade já não é o que era e há opções com melhor relação qualidade/preço. E não preciso de fazer por medida, pois tenho "físico de alfaiate". Quanto às "Tattersall", tenho umas poucas, certamente mais de uma dúzia, de proveniências várias e qualidade diversa: Wesley, M&S, Barbour, Boomerang (do El Corte Inglés), Labrador e até acho que uma da Springfield(!). O El Corte Inglés da Castellana costuma ter umas óptimas da Purdey, mas acima dos €100, franquia que acho excessiva para uma camisa desportiva.

Teresa disse...

It was just a wild guess, João, que há muito tempo que não ofereço camisas (a última que ofereci era Turnbull & Asser, o obsequiado nem sabia o que estava a receber).
Lembrei-me da Camisa de Ouro por serem camiseiros à antiga, com fichas dos clientes, e em que se pode substituir punhos e colarinhos coçados.
E a Camisaria Moderna, no Rossio?
Just another wild guess.

Teresa disse...

P.S. e off topic:

No tempo em que eu torrava fortunas em gravatas Hermès, Gucci e Céline, descobri a Picadilly, na Rua Garrett, e as suas maravilhosas gravatas inglesas. Passei a poder dar três pelo preço de uma única das outras.

JC disse...

1. Não estou preocupado c/ as Tattersall. Talvez precise de uma ou duas este ano e, nesse caso, sei onde comprar. O "post" era só um "fait divers" sobre o facto de não se conhecer o nome em Portugal para algo tão comum. mas agradeço as sugestões.
2. Quanto à Piccadilly, tenho algumas (3 ou 4) gravatas de lá, "regimentais" e uma de malha. O meu pai trabalhava na rua Garrett e costumava comprar lá gravatas. Quanto a gravatas Hermès, Gucci e Céline, não são definitivamente a minha chávena de chá.

VdeAlmeida (YardBird) disse...

Bem, meu caro, não sejamos demasiado exigentes, não é? É uma questão de preparação dos profissionais e de experiência.
Hoje, os empregados saltam do balcão de uma camisaria para o de uma sapataria sem problemas, e acabam por nunca saber muito daquilo que vendem. Passa-se o mesmo se perguntar por "seersucker suits"
E não é só cá. Ainda há uns tempos andei por Londres à procura de uma camisa com "tab collar" e na maior parte dos sítios onde procurei não sabiam do que se tratava,nem naquelas grandes e mais conhecidas camisarias.
Mas claro que o caro amigo sabe que na Wesley tem excelentes camisas dessas (na Picadilly e na Labrador também, embora neste último caso não aprecie muito os colarinhos).
E já agora veja lá como andam as coisas: ainda há uns tempos fui ao Rosa & Teixeira - que é talvez a melhor lojo multimarcas cá do burgo - à procura de meias "argylle" e quem me atendeu também não sabia o que era. Tive que mostrar as que tinha calçadas..
Abraço

Vic

JC disse...

1. "seersucker" - mil raias (não é exactamente o mesmo, mas...)
2. Argyle: meias de losangos serve em português. O problema agora é encontrá-las em Lx, "knee high" e de lã! Cheguei a comprá-las na Cordings, em saldo, por £8!!!
3. Tab collar. Pois... Cheguei a comprar uma no Charlot. Mas s/ ser por encomenda acho já não encontra em Lx.
4. E os dois a zero?
Abraço

VdeAlmeida (YardBird) disse...

1 - É. O seersucker é um tecido leve de verão. Por cá, geralmente os fatos seersucker que se vendem são de riscas azuis claras e brancas, mas há de outras cores.
2 - A designação mais usada para as meias de cano alto é OTC (over the calf). E é verdade que não são muito fáceis de encontrar, especialmente das que gosto. E as mais difíceis são as de cano baixo e em algodão.
Sítios para comprar:
- OTC's ou de cano baixo em lã: no El Corte Inglês (da Burlington e de uma marca do próprio ECI).
Na Sebago das Amoreiras, de cano baixo em lã (estas têm sempre bonitas combinações de cores)
- Em algodão, de cano baixo, tamb+em no ECI e das mesmas marcas.
- Em algodão OTC's: no Rosa e Teixeira. Esplêndidas (e caras) da marca italiana Palatino. Com o problema acrescido que com o nosso clima, ninguem usa OTC's no Verão. Mas dão muito bem para o Outono/Primavera ou mesmo Inverno desde que a temperatura não for de rachar.
3 - Pois é, as tab collar estão difíceis. Tais como as pin collar (que aprecio especialmente), mas vão aparecendo nas coleções de inverno do Rosa & Teixeira. Ainda não procurei em Madrid, mas em Paris encontram-se bem. E claro que há sempre as feitas por medida.
E já agora, um dia destes procurei por gravatas de tartan e... Milagre! sabiam do que eu estava a falar!

Para terminar...meu amigo, o SCP para mim é uma instituição que respeito, mas confesso a minha desilusão com o que se vai passando por Alvalade. O meu desinteresse já é tanto que me limito a continuar a tradição do meu pai: pago religiosamente as quotas. Mas não me peçam mais nada. Faço de conta que estou a contribuir para uma instituição de caridade.
Mentiria se lhe dissesse que os desaires do meu clube me passam ao lado, mas por uma questão de sanidade mental ( e física, porque não?) tento manter-me o mais longe possível daquele ambiente. Hoje, e passado estes anos todos, penso que a passagem a aparição da SAD foi o pior que podia ter acontecido ao Sporting.
Isso, e a aparição de uma longa lista de baronetes que se acham donos do clube.

Abraço

VdeAlmeida (YardBird) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
VdeAlmeida (YardBird) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.